Policiais militares recebem preparação para aposentadoria

Preparar o policial militar e servidor civil, com mais de 28 anos de serviço, para a reserva ou aposentadoria. Esse é o objetivo principal do Programa e Preparação Para a Reserva e Aposentadoria (PPRA) da Polícia Militar (PM). Fruto do Prêmio de Boas Práticas do Servidor, em 2010, o PPRA está na 21ª edição e já beneficiou a mais de 2 mil servidores. Ao ingressar no programa, o policial militar é retirado do serviço de sua atividade fim, quer seja administrativa ou operacional, e é apresentado à Coordenadoria de Interatividade do Veterano para que possa participar, durante sete dias, de palestras, atividades físicas e lúdico recreativas, em companhia dos familiares.

Apesar de criado em 2004, o programa foi colocado em prática em março de 2006. Foi nessa época que surgiu também o slogan “Prepare-se para uma nova fase de suas vidas onde a sabedoria e a experiência irrigarão sua existência”. Isso significa que o policial militar, após o tempo de dedicação ao serviço público, precisa se preparar para um novo momento da vida, menos intenso, através de um ciclo de palestras e vivências orientando e esclarecendo sobre a melhor maneira de proceder nessa nova fase. Durante a execução do PPRA, o PM ou o servidor civil é retirado de sua atividade de rotina para se dedicar, exclusivamente, ao programa.

De acordo com idealizador do PPRA, o tenente-coronel Josemar Silva da Cruz, antes do programa o servidor recebia a informação de que seria transferido para a reserva através do Boletim Geral da PM ou através do Diário Oficial do Estado (DOE). “Uma mudança dessa natureza gerava um impacto grande, aliado às consequências desastrosas para a vida e a família do servidor”, disse. Para Cruz, o PPRA é importante porque respeita a necessidade de melhorar a qualidade de vida do PM após o tempo de serviços prestados.

O PPRA visa também outros aspectos humanos fundamentais, como salientar o papel do PM como protagonista na construção da corporação e de pertencimento mesmo na condição de aposentado; desmistificar o sentido negativo da palavra “inatividade”; mostrar o quanto é importante viver e envelhecer com qualidade de vida; orientar para os cuidados com a saúde, alimentação e sexualidade; trazer para o futuro veterano uma nova visão sobre sua inserção no mercado; desmistificar o sentido pejorativo da terceira idade; além de identificar as alternativas prazerosas de ocupação do tempo livre.

Compartilhar